Site Network: Home | Tendências Urbanas | Snack in Box | INK_Designers | Nova Mídia | Greener City |

Eu consumidora?

compras, mulheres nas compras, o que comprar, dúvida na hora da compra, dicas femininas nas comprasUma loja bonita, descolada, preços camaradas, mercadoria de qualidade, atendimento vip? Tudo isso ou nada disso?

É muito bom entrar num ambiente bonito, bem montado, mas isso apenas não me faz comprar.
Preços camaradas? Sim, mas só se a mercadoria for boa, não tem sentido comprar algo que não vai durar, mesmo pagando pouco, logo você vai gastar novamente.
Mercadoria de qualidade sim, mas com preço justo!
Bom atendimento é importante, mas eu não vou pagar mais caro porque o vendedor foi simpático! Aliás, tem lojas onde se entra e os vendedores começam a elogiar tanto, mas tanto que fica claro que estão pondo em prática uma estratégia de vendas, não funciona, fica muito falso e extremamente cansativo, saio correndo de lugares assim.
Mulheres são esquisitas, então perguntar a elas sua postura como consumidoras podem nos trazer respostas absolutamente incompatíveis, absurdas e descabidas.
Por exemplo, adoro uma liquidação, mas se me apaixonar por um sapato, vou acabar comprando, mais cedo ou mais tarde. O preço acaba tornando-se mero detalhe.
Também acreditamos em milagres: creminhos que prometem reduzir a celulite (meu banheiro está cheio deles), acabar com as rugas (ainda não preciso, mas dos que prometem prevenir tenho vários)...
Mas tudo tem um limite.
Segundo noticiado quem mais procura o PROCON são as mulheres, elas são mais exigentes.
Eu mesma já entrei em contato algumas vezes com o SAC de algumas empresas, uma vez na compra de um desodorante cuja válvula parou de funcionar com o frasco ainda cheio. Outra vez um bolinho recheado que estava com mofo. E mais algumas situações. Em todas as ocasiões fui muito bem atendida. Resultado: uso a mesma marca de desodorante até hoje e continuo consumindo alimentos da mesma marca dos bolinhos.
Acho que é mais ou menos por aí: respeito!
Como consumidora eu quero ser respeitada. Não quero entrar numa loja e ter um exército de vendedores me seguindo, mas quero encontrar algum por perto se me interessar por algo.
Não acredito que o melhor artigo é o mais caro, mas aquele muito barato causa desconfiança. Porém se a necessidade for urgente, não me importo de pagar um pouco a mais para levar na hora. Que adianta estar mais barato em outro lugar que já esgotou?
Mulheres são assim, não acreditam na promessa do branco mais branco, querem testar, e se não for verdade voltam para aquela marca antiga que sua mãe já usava.
Claro que em tempos de crise mundial é necessário rever alguns conceitos, experimentar coisas novas e às vezes até nos surpreendemos.
Mas a regra é confiar no produto.


Cris é paulistana, já passou um bocado dos trinta, eternamente em dieta, cozinheira mediana, adora House, compradora de sapatos compulsiva mas também adora uma bolsa, ainda engatinhado na blogosfera, mas já em total dependência.

Ah! A Cris também é autora do CrisBlog e a comentarista mais assídua aqui do Nova Mídia - Novo Marketing.



Acompanhe o Nova Mídia no Twitter e assine nosso RSS / e-mail

3 comentários:

At 10 de novembro de 2008 13:11 Tiago Moralles said...

Muito bom o post. Nada melhor do que interna para falar do assunto.
Parabéns galera.

 
At 10 de novembro de 2008 13:12 cris said...

É estranho ler isso!
Obrigada pela oportunidade, conte comigo quando precisar!

 
At 10 de novembro de 2008 16:58 Rodrigo Alexandre Coelho said...

"respeito" e "confiança", acho que estes dois termos que aparecem no post são muito significativos, afinal uma boa relação com uma marca/empresa/produto tem obrigatoriamente que estar embasada nestes dois princípios, não é mesmo?

Ótimo post Cris. Obrigado novamente pela contribuição e espero ter mais posts seus por aqui.

Postar um comentário


BlogBlogs.Com.Br